“Quero ser um exemplo para o meu filho”

“Quero ser um exemplo para o meu filho”

2018-12-05

Pedro Queirós está a concluir o 12.º ano através do Programa de Educação do Sindicato dos Jogadores.

Além de estar a tirar o curso de treinador, o defesa do Estoril aproveitou o incentivo do Sindicato para terminar o 12.º ano de forma a precaver o futuro e, também, porque quer ser um exemplo para o filho. Não temos dúvida que o é, para ele e para todos os jogadores.

Estás a concluir o 12.º ano através do Programa de Educação do Sindicato. Como surgiu o interesse para voltares aos estudos?
O interesse começou através de uma das visitas do João Paulo, representante do Sindicato, ao Desportivo de Chaves em que nos comunicou que quem tivesse interesse podia concluir os estudos através do Sindicato. Ao saber disto decidi aproveitar a oportunidade e acabar o 12.º ano.

A família e o clube apoiaram-te relativamente aos estudos?
Sem dúvida que família, clube e toda a gente que me é mais próxima, me incentivou a aproveitar a oportunidade e a concluir o 12.º ano.

Achas que faltam medidas que apoiem a conciliação dos estudos com a profissão de futebolista?
Acho que poderiam haver mais medidas porque um jovem que esteja numa equipa principal de divisões superiores, e em equipas que joguem competições europeias, acaba por ter pouquíssimo tempo livre para dedicar aos estudos.

Consegues fazer bem a gestão do tempo para os estudos com o futebol?
Sim, não tenho tido problemas porque é possível fazer tudo em casa e depois enviar através de e-mail para a pessoa que está a gerir o nosso processo.

Terminar o 12.º ano sempre foi uma ambição?
Sempre tive o desejo de acabar, embora sempre tenha pensado que seria difícil, mas esta iniciativa do Sindicato veio ajudar a concretizar esse objetivo.

Quando terminares o 12.º ano pretendes continuar a estudar e tirar um curso? Tens ideia da área pela qual irás optar?
A ideia neste momento é acabar o 12.º ano e ao mesmo tempo acabar o primeiro nível de treinador, onde só me falta fazer a parte do estágio para ficar com o primeiro nível. Depois disso pensarei quais os próximos passos e objetivos a atingir.

Um jogador com formação académica pode ser melhor em campo?
Um jogador com formação académica pode ser melhor em tudo na vida.

Sentes que és visto pelos colegas como um exemplo a seguir?
Não sei se sou visto como exemplo a seguir pelos colegas, nem é esse o meu objetivo. O que estou a fazer é algo que pode ser útil para o meu futuro assim que terminar o futebol, mas acima de tudo quero ser um exemplo para o meu filho.

Aconselhas os teus colegas a não abandonarem os estudos, sobretudo os jogadores mais novos?
Aconselho sempre a não deixarem os estudos porque nem toda a gente vai conseguir continuar no mundo do futebol e então é sempre importante precaver o futuro.

Abandonar os estudos precocemente é uma das maiores “pragas” para quem quer ser jogador profissional?
Sem dúvida que é uma das maiores “pragas” do futebol porque muitas vezes o tempo livre para estudar é muito pouco e noutros casos muita gente acaba por concentrar toda a sua atenção no futebol para tentar atingir o sonho de uma vida.

Qual é a tua opinião sobre a atuação do Sindicato?
Acho que o Sindicato tem feito um excelente trabalho na ajuda a todos os jogadores e nas iniciativas que tem proporcionado a toda a gente.


Perfil
Nome: Pedro Miguel Barbosa Queirós
Data de nascimento: 8 de agosto de 1984
Posição: Defesa
Percurso como jogador: Tirsense (formação), SC Braga B, Torre de Moncorvo, Gloria Bistrita (Roménia), Paços de Ferreira, Oliveirense, Paços de Ferreira, Feirense, Vitória de Setúbal, Astra Giurgiu (Roménia), Chaves e Estoril.